Família homenageia a memória da avó, exibindo todas as suas colchas no seu funeral

Margaret Hubl faleceu em julho passado em Nebraska aos 89 anos, mas é seguro dizer que seu legado continuará a viver.

Você vê, Hubl era um quilter. Enquanto algumas pessoas fazem colchas como um passatempo da tarde, ela as fez para comunicar seu amor por sua família.

Isso foi muito claro em seu funeral, quando seus filhos e netos decidiram pendurar todas as colchas que ela fizera nas costas dos bancos..

Margarida Hubl's quilts were draped over each pew at her church to honor her memory.
As colchas de Hubl estavam sobre cada banco da igreja para homenagear sua memória..Cortesia de Christina Tollman

“Nunca imaginei quantos havia”, disse a neta de Hubl, Christina Tollman, ao HOJE. “Nós cobrimos quase todos os bancos da igreja. Eu nunca soube quantos ela realmente fez.

E enquanto as colchas são especiais, o significado por trás deles realmente leva o bolo.

Hubl passou a vida cuidando de sua família. Ela teve três filhos e depois recebeu os gêmeos da cunhada depois de um trágico acidente. Hubl e seu marido, Henry, criaram todos os cinco filhos em uma pequena casa de três quartos em sua fazenda..

RELACIONADOS: Bride pede avó de 92 anos para ser uma dama de honra: “Ela é minha melhor amiga”

Hubl inicialmente começou a costurar, a fim de fazer roupas para seus filhos, mas como eles cresceram e tiveram seus próprios filhos, ela teve que fazer essas crianças algo tão bem.

É aí que as colchas chegam. Ela começou a fazê-las para cada neto ao se formarem no ensino médio..

Alguns members of Margaret Hubl's family saw their quilt for the first time on this day.
Alguns membros da família de Hubl viram sua colcha pela primeira vez em seu funeral.Cortesia de Christina Tollman

“Ela queria que tivéssemos algo para embrulhar e nos aquecer quando formos para a escola”, disse Tollman..

Hubl realmente pensou em cada pessoa que receberia as colchas também.

RELACIONADOS: Mulher transforma cartas de amor de seus avós em obras de arte wearable

“Quando nos sentamos para ver as coisas dela, encontramos isso – eu chamo de caderno de bolso. Lá dentro, ele diz em qual colcha ela estava trabalhando, que dia ela colocou no quilt frame e que dia ela tirou, ”explicou Tollman.

E quando as crianças de Hubl começaram a cuidar de si mesmas, ela começou a dedicar mais tempo às colchas. Eles se tornaram um presente precioso para cada neto no dia do casamento.

Margarida Hubl wrote the day that she started each quilt, and the day she finished. The top says,
Hubl escreveu o dia em que começou cada colcha e o dia em que terminou. A parte superior diz: “Coloque a gravata borboleta em 13 de fevereiro
’99 terminou em janeiro de 2000. “
Cortesia de Christina Tollman

“Na verdade, eu tenho três primos que não são casados, e o dia de seu funeral foi o dia em que eles puderam ver suas colchas pela primeira vez”, disse Tollman. “Isso foi realmente um momento legal.”

RELACIONADOS: Cão de terapia funerária traz conforto e sorrisos inesperados para famílias em luto

Todas essas horas e todo o pensamento – tudo valeu a pena. A família de Hubl tem agora algo em que se agarrar, envolver-se sempre que precisar sentir o conforto de sua amada. Então, enquanto dar uma colcha pode parecer tão simples, certamente se destaca como um dos presentes mais pensativos.

“Este é o amor que a vovó fez por cada um de nós. Isso é o que ela fez para cada um de nós se envolver quando nos machucamos ”, disse Tollman. “Quando sentimos falta dela.”